14 março 2017

Agentes penitenciários evitam fuga de 10 presos Alcaçuz

Presos chegaram a pular o muro do pavilhão 3, mas foram recapturados ainda na área interna da penitenciária (Foto: PM/Divulgação)
Agentes penitenciários conseguiram evitar a fuga de 10 detentos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte. A tentativa aconteceu na madrugada desta segunda-feira (13). De acordo com o vice-diretor da unidade, Juciélio Barbosa, todos os presos eram do pavilhão 3. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal.
“Eles pularam o muro do pavilhão e estavam rastejando na direção do muro do presídio”, relatou Barbosa.
A fuga foi impedida pelos agentes penitenciários de plantão, que encontraram os homens rastejando e impediram que escapassem. Ainda segundo o vice-diretor, balas de borracha foram disparadas, mas não houve feridos.
Em janeiro deste ano, uma série de rebeliões e confrontos acabaram com pelo menos 26 detentos mortos em Alcaçuz. A matança é um marco histórico do caos em que se tornou o sistema prisional potiguar. Desde então, a penitenciária conta com o reforço de agentes federais e de outros estados que foram enviados para restabelcer o controle da unidade.
Presos são vistos durante um confronto de facções na penitenciária de Alcaçuz em janeiro (Foto: Josemar Gonçalves/Reuters)
Fugas em 2017
Pelo menos 70 homens escaparam do sistema prisional potiguar este ano. Em Alcaçuz, pelo menos 56 presos fugiram durante a rebelião ocorrida em janeiro. No dia 7 de janeiro pelo menos 14 homens conseguiram fugir da Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na Grande Natal.
Calamidade pública
O sistema penitenciário potiguar entrou em calamidade pública em março de 2015.No dia 4 de março deste ano foi prorrogado por mais 180 dias. Segundo a Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc), órgão responsável pelo sistema prisional do estado, o Rio Grande do Norte possui 33 unidades prisionais, que oferecem 3,5 mil vagas, mas a população carcerária é de 8 mil presos - ou seja, o déficit é de 4,5 mil vagas.

G1RN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário