EM SEIS ANOS, PAÍS DESATIVA 10,1 MIL LEITOS PEDIÁTRICOS NA REDE PÚBLICA

* R7 - Brayan tinha só um dia de vida quando foi diagnosticado com disfunção cardíaca grave. Os médicos da maternidade avisaram à família que ele teria de ser transferido para um hospital especializado e passar por cirurgia o mais rápido possível. Quanto mais o procedimento demorasse, maior era o risco de morte. A vaga, porém, só saiu três meses depois, quando a família entrou com ação na Justiça. "Toda noite era uma angústia. A gente ia embora do hospital e não sabia se ele estaria vivo no outro dia", diz a atendente Érica Bezerra de Melo, de 25 anos, mãe do bebê.

Mais informações »

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUIDORES