11 março 2017

Policiais civisdo RN decidem paralisar por 24 horas e terão assembleia com indicativo de greve

A reunião entre o SINPOL-RN e o governador será às 16h da próxima quinta-feira
 
Policiais civis decidem paralisar por 24 horas e terão assembleia com indicativo de greve
Os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram aderir a uma paralisação nacional que acontecerá na próxima quarta-feira, dia 15 de março, bem como marcaram uma assembleia com indicativo de greve para a próxima quinta-feira, dia 16.

Ao longo de todo o dia desta quinta-feira (9), policiais civis promoveram um ato em frente à Governadoria, aguardando uma reunião com o governador Robinson Faria, que aconteceria às 11h. O encontro não ocorreu, pois a equipe de Governo informou que o chefe do Executivo estava doente.

Inicialmente, havia a perspectiva de o encontro acontecer no final da tarde, após as 17h, mas o governador Robinson acabou desmarcando toda sua agenda de trabalho nesta quinta. Com isso, a chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, recebeu o SINPOL-RN no final da tarde.

Foram discutidos alguns pontos da pauta de reivindicações dos policiais civis, no entanto, a Diretoria do Sindicato frisou que a maioria dos pontos precisa ser tratada diretamente com o governador e fez um apelo para que a reunião fosse agendada o quanto antes. A equipe do Governo então marcou o encontro para o dia 16.

“A reunião entre o SINPOL-RN e o governador será às 16h da próxima quinta-feira. E, por isso, a categoria deliberou por se concentrar em frente à Governadoria a partir das 14h para aguardar o resultado da conversa e, em seguida, realizar uma assembleia convocada com indicativo de greve”, explica Paulo César de Macedo, presidente do Sindicato.

De acordo com ele, os policiais civis esperam que o governador Robinson, juntamente com seu secretariado, apresente respostas aos pleitos dos policiais civis. "Essa pauta foi entregue ao próprio governador em agosto de 2015. Em setembro de 2016, reapresentamos à Tatiana Mendes Cunha e, até agora, não recebemos nenhum posicionamento do Governo. Os policiais esperam a correção de injustiças, a efetivação de direitos conquistados, a valorização e equiparação salarial”, ressalta.

PARALISAÇÃO NACIONAL
Sobre a paralisação de 24 horas no dia 15 de março, os policiais civis decidiram aderir a um movimento nacional que será realizado por policiais em todo o Brasil, bem como por outras categorias. O objetivo é pressionar o Governo Federal e Congresso Nacional contra a reforma da Previdência.

ASSESSORIA DE IMPRENSA
Thyago Macedo

Fonte: O Câmera

Nenhum comentário:

Postar um comentário