Deputados, alvos de delatores, querem acelerar reforma política

O relator da reforma, Vicente Cândido (PT-SP), também é alvo de investigação por, segundo delatores, ter recebido R$ 50 mil em troca de apoio para encontrar uma solução para financiar o estádio do Corinthians.

A Folha de São Paulo revela na sua edição de hoje que, diante da divulgação da lista de alvos de inquérito da Lava Jato e dos vídeos com depoimentos de delatores da Odebrecht, deputados querem acelerar a tramitação da reforma política na Câmara.

A aceleração facilita a aprovação de questões polêmicas, como a mudança de sistema eleitoral, e promove uma agenda positiva para o Congresso, que tem 39 deputados e 24 senadores como alvos de inquéritos autorizados pelo relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Edson Fachin.

“Quem aposta na lista de Fachin para não se aprovar a reforma vai bater com a cara na parede. Ao contrário, o Congresso vai agilizar [a tramitação] para mostrar à sociedade que não está parado por questão de lista”, afirma Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), presidente da comissão que discute a reforma.

Segundo delatores, Vieira Lima recebeu R$ 1 milhão do departamento de propinas da Odebrecht para defender interesses da empresa no Congresso, o que ele nega.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUIDORES