FEMURN se reúne com Sesed e solicita mais segurança nos municípios

A Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte – FEMURN – se reuniu, nesta quarta-feira (05), com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) para solicitar mais segurança pública nos municípios potiguares. Participaram do encontro o Presidente da Federação, Benes Leocádio, e os prefeitos Naldinho, de São Paulo do Potengi, Alessandru Emmanuel, de Campo Redondo, Serginho, de Serra Negra do Norte, Ciro Bezerra, de Itaú, Thales Fernandes, de Major Sales, e Atevaldo Silva, de Encanto.

A comitiva de Prefeitos relatou ao Secretário da pasta, Caio Bezerra, o temor da população e as dificuldades de ordem financeira que os municípios têm enfrentado com os arrombamentos em agências bancárias. De janeiro até hoje, 25 atentados no interior foram contabilizados. De acordo com os prefeitos, a falta estrutura da Polícia Militar nos municípios do interior impede qualquer possibilidade de reação no momento dos atentados. Com a explosão das agências bancárias e a falta de atendimento, o comércio também tem sofrido, agravando a crise financeira nas cidades. O Presidente da Federação considerou as dificuldades do Estado, mas pediu empenho da Secretaria na segurança pública dos municípios: “Sabemos das dificuldades que o Estado enfrenta, mas, precisamos procurar meios de, pelo menos, amenizar os atentados. Os municípios não suportam mais. Agora, além do tráfico de drogas, infelizmente presente nas cidades, também nos deparamos com o caos das explosões dos bancos, afetando a população do interior”, afirmou Benes.
Os prefeitos consideram que as ações da Secretaria de Segurança não têm surtido o efeito esperado e pretendem firmar novas parcerias e aprimorar o trabalho de proteção às cidades do interior. Para Benes, “É necessário irmos além, buscando novos meios para garantir a segurança pública nos municípios, como convênios com o Governo Federal e firmando parcerias, avançando efetivamente na proteção às cidades e aos cidadãos”, considerou o Presidente. Benes também propôs um novo encontro, com demais segmentos afetados pela onda de violência e atentados as agências no interior do Estado.
O Prefeito de São Paulo do Potengi, Naldinho, alertou para as dificuldades que as economias dos municípios têm enfrentado: “O comércio está fechando. Já que não tem dinheiro circulando, as pessoas vão receber seus salários em outros municípios e compram por lá mesmo. Isso só piora a crise financeira já existente”, afirmou. As agências do Bradesco e Banco do Brasil de São Paulo do Potengi foram alvo de atentado no dia 06 de fevereiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUIDORES