07 abril 2017

Soldado denuncia tortura no Exército do Rio de Janeiro que levou a remoção de testículo

Foto: Reprodução / O Globo
Um soldado lotado na 2ª Companhia da 27ª Brigada de Infantaria Paraquedista do Rio de Janeiro denunciou ao Exército uma tortura sofrida há cerca de duas semanas. Segundo informações do jornal O Globo, ele passou por um trote aplicado por um grupo de 18 militares. O calouro teve seus pés e mãos amarrados e foi submetido a dois minutos de espancamento. Os seus superiores desferiram chutes e ainda usaram paus, pedaços de fio e plásticos. Ao final, um cabo conhecido no batalhão como "Cachorro Louco" atacou o soldado com mordidas nas nádegas que chegaram a arrancar pedaços. O calouro foi atendido no Hospital Central do Exército (HCE) e precisou ter um dos testículos extraídos. "Os médicos disseram que o segundo está comprometido e também poderá ser extraído. Não vou mais conseguir saltar ou pular de paraquedas. Além disso, estou sob tratamento psiquiátrico e psicológico para tentar superar o que aconteceu. Eu sonhava em ser militar da Brigada Paraquedista. Me esforcei para passar nos testes. Agora não quero mais. Não tenho mais condições", revelou o militar, que preferiu não se identificar, em entrevista ao jornal O Globo. Segundo ele, outros calouros passaram pelo trote no batalhão. O Exército instaurou um inquérito e os oito cabos indiciados foram afastados. A Força Armada informou ainda que entre 2014 e 2016 investigou cerca de cinco ocorrências de maus-tratos, lesão corporal e outros excessos cometidos em unidades militares do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário