11 maio 2017

No RN, ex-deputado Gilson Moura e rede de supermercado são condenados por corrupção no Ipem

 
O ex-deputado estadual Gilson Moura e Supermercado Nordestão foram condenados dentro da chamada Operação Pecado Capital, que desbaratou um esquema de corrupção no Instituto de Pesos e Medidas do Rio Grande do Norte (Ipem/RN). De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), as investigações apontaram que, pelo menos, R$ 30 mil em multas que deveriam ser aplicadas ao supermercado, em 2008, pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem/RN) foram substituídas por punições mais leves, como simples advertências. A sentença foi publicada no dia 11 de abril.
Ainda segundo o MPF, em troca, a empresa doou, irregularmente, alimentos à campanha do parlamentar, que foi candidato a prefeito de Parnamirim em 2008. O MPF apontou que Gilson Moura foi quem indicou Rychardson de Macedo, então diretor geral do Ipem/RN, e comandava junto com ele e outros envolvidos o esquema de irregularidades desbaratado pela Operação Pecado Capital.
O G1 procurou a assessoria do supermercado Nordestão que informou que a diretoria da rede está em SP e ainda não se manifestou. O ex-deputado estadual Gilson Moura informou que vai recorrer da decisão.
Em 11 de abril de 2007, o Ipem/RN constatou que o Nordestão vendeu álcool em embalagens sem identificação do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade. De acordo com o processo, a multa aplicada foi de R$ 10 mil e, segundo as normas, possíveis novas multas deveriam ir de R$ 100 a R$ 1,5 milhão e serem cobradas em dobro, no caso de reincidência. Porém isso não aconteceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário