Após declarações de FHC, Temer perde apoio de tucanos para barrar denúncia de Janot

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil
O presidente Michel Temer não está mais contando com o apoio dos 46 deputados do PSDB para barrar a denúncia eu o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve apresentar contra ele nos próximos dias por corrupção passiva, associação criminosa e obstrução de Justiça. De acordo com o site Congresso em Foco, a retirada dos parlamentares tucanos da contabilidade de votos que o governo possui na Câmara para evitar que a denúncia se torne processo contra o peemedebista ocorreu depois das declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O tucano passou a defender a antecipação das eleições presidenciais de 2018 como solução para a crise política protagonizada por Temer. “Este será um momento decisivo para o PSDB. A depender do conteúdo da denúncia, o partido fica ou deixa o governo, vota pela admissibilidade ou rejeita”, disse um dirigente do partido à publicação. “Só contarão conosco se a denúncia for fraca. Por que vamos apoiar um governo moralmente insustentável?”, completou o tucano, na esteira das declarações de FHC sobre a aliança com Temer. Nas contas de deputados da tropa de choque do presidente, o governo precisa conquistar 300 votos contrários à denúncia do Ministério Público Federal. Este número seria uma forma de mostrar a força política do presidente. Para rejeitar a denúncia, o presidente só precisa de 172 votos contrários à iniciativa da PGR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUIDORES