Ministério Público Federal detalha funcionamento de esquema de fraudes no INSS do RN

 
O Ministério Público Federal divulgou detalhes, nesta sexta-feira (9), das investigações que resultaram na Operação Anjo Mau, deflagrada no dia 17 de maio, em Natal, e em denúncia apresentada à Justiça. A ação desarticulou um esquema de fraudes no INSS do Rio Grande do Norte, em diversos auxílios previdenciários.

Durante a operação, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, na residência de três servidores do INSS e na agência da Previdência Social, no bairro de Nazaré. No período de março de 2010 a agosto de 2011, de acordo com o MPF,uma organização criminosa forjou vínculos trabalhistas e obtinha irregularmente auxílios previdenciários, gerando prejuízos aos cofres públicos.

Servidores do INSS, dos quais um já faleceu, e outros quatro beneficiários do esquema foram denunciados no início deste ano pelo MPF, na ação penal de autoria do procurador da República Fernando Rocha.

Em 2011, o INSS montou um Grupo de Trabalho para Monitoramento Operacional destinado a auditar dezenas de benefícios com indícios de fraude. Essa auditoria apontou um homem como diretamente envolvido em diversas das irregularidades. Do que havia sido descoberto, resultaram várias ações penais, das quais pelo menos uma já gerou condenação.

Até então, contudo, as denúncias tratavam apenas dos casos nos quais o acusado agia junto com o beneficiário da fraude, sem, no entanto, a participação direta de servidores do INSS. Em 2016, porém, ele procurou o MPF para firmar o acordo de colaboração premiada, propondo-se a devolver o dinheiro recebido irregularmente e contar detalhes do esquema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUIDORES