04 agosto 2017

Ministro do TSE é acusado de usar detetive para seguir mulher

Admar Gonzaga já foi denunciado por ter supostamente agredido fisicamente Élida Gonzaga este ano

Do portal Metrópoles
Depois de se envolver em um caso de violência doméstica, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga voltou a ser citado em mais uma ocorrência policial. Desta vez, o magistrado é acusado de contratar um investigador particular para monitorar os passos da própria mulher.
Admar Gonzaga e Élida Gonzaga vivem enredos que estão de acordo com os novos tempos no DF (Foto: Giovanna Bembom)

Segundo os depoimentos colhidos pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), Gonzaga queria descobrir o que Élida Gonzaga fazia em Brasília na sua ausência, mais precisamente no período de 1º a 17 de julho deste ano.

A mulher acabou desconfiando que estava sendo seguida e pediu socorro ao serviço de segurança e inteligência que fica à disposição dos ministros da Corte e de seus familiares. Com isso, o profissional contratado por Gonzaga acabou se apresentado espontaneamente à Deam.

Aos policiais, o investigador contou que instalou um GPS no carro de Élida, uma Mercedes Benz.

Em 23 de junho, o Metrópoles revelou com exclusividade que a mulher chegou a registrar uma denuncia de agressão contra o marido. Após a repercussão do caso, a queixa foi retirada. O inquérito, entretanto, continua tramitando no Superior Tribunal Federal (STF), pois Gonzaga tem foro privilegiado.

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Fonte: Carlos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário