Fachin homologa delação do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do PMDB

Foto: Divulgação
O ministro Edson Fachin homologou nesta terça-feira (5) o acordo de colaboração premiada do doleiro Lúcio Funaro, apontado nas investigações como operador do PMDB no esquema de desvios de recursos do FI-FGTS. A negociação entre Funaro e a Procuradoria-Geral da República se intensificou no mês de julho e, na última semana, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, remeteu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para homologação de Fachin. O ministro, no entanto, solicitou informações extras e, no dia seguinte, o acordo foi reenviado para a Corte. A delação de Funaro envolve pessoas com foro privilegiado, por isso permaneceu em negociação direta com a PGR e dependia de homologação do STF. Entre os citados, estaria o presidente da República, Michel Temer, e o grupo de parlamentares e ministros da cúpula do PMDB, incluindo o ex-deputado Eduardo Cunha, preso em Curitiba (PR) desde o último mês de outubro. Com a homologação, o conteúdo pode ser utilizado para novas denúncias de Janot, que deixa o mandato na PGR no dia 17 de setembro. O conteúdo da colaboração de Funaro foi mantido em sigilo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUIDORES