Delator cita repasses a mais de 30 lideranças, a mando de Henrique, em 2014 no RN

Disponibilização dos recursos, segundo delator Fred Queiroz, teria acontecido por meio de pagamentos em espécie ou via contratos com a empresa Prátika Locações
Apontado na operação Manus como um dos operadores do ex-ministro Henrique Eduardo Alves, o empresário Fred Queiroz revelou em delação premiada junto ao Ministério Público Federal e ao Ministério Público do RN que o apoio político de lideranças do interior e da capital à candidatura de Henrique ao Governo do Estado em 2014 foi garantido com recursos de origem ilícita provenientes de empreiteiras. Parte dos termos da colaboração de Fred foi divulgada neste domingo, 5, pelo Blog do BG.

De acordo com o delator, pelo menos 30 políticos receberam as verbas em troca de apoio político. A disponibilização dos recursos teria acontecido por meio de pagamentos em espécie, a maioria não apresentada na prestação de contas da campanha, ou via contratos com a empresa Prátika Locações, de origem ilícita. Na lista, estão prefeitos, vereadores e lideranças políticas regionais do Rio Grande do Norte.

Entre os agentes que teriam recebido os recursos, Fred citou, em um dos depoimentos da delação, o então prefeito de São Vicente, Josifran Lins de Medeiros. Ele foi preso pela Polícia Rodoviária Federal no dia 30 de setembro, às vésperas do primeiro turno da eleição, com R$ 27,5 mil em espécie e material de divulgação da campanha de Henrique Alves. Segundo Fred, o valor foi recebido pelo prefeito na casa da sogra de um dos assessores de Henrique, José Geraldo, por Benes Leocádio, então coordenador da campanha junto a lideranças do interior.

Além de Josifran, Fred apontou também como recebedores de quantias com origem ilícita os atuais prefeitos Felipe Muller (Caiçara do Rio do Vento), Severino Rodrigues (Monte Alegre), Ivete Matias (Brejinho) e Osivan Queiroz (Lagoa Salgada), além dos ex-prefeitos Fábio Marinho (Jandaíra), Zeca Pantaleão (Carnaúba dos Dantas), Flávio Azevedo (Nova Cruz), Nilton Figueiredo (Pau dos Ferros), Klaus Rêgo (Extremoz), Ivan Júnior (Assu), Flávio Veras (Macau), Amaro Saturnino (Maxaranguape) e Aníbal Pereira (São João do Sabugi).

Segundo Fred, as lideranças políticas listadas acima eram as que mais pressionavam por valores, mas havia outros beneficiários. Em Mossoró, por exemplo, os vereadores Alex Moacir, Genivan Vale e Isabel da Caixa, além do ex-vereador Lahyre Neto teriam recebido os recursos, mas as tratativas se deram com Aldo Fernandes, então coordenador da campanha em Mossoró. Outras lideranças da cidade, como Fafá Rosado, Larissa Rosado (deputada estadual) e Sandra Rosado (ex-deputada federal e atual vereadora de Mossoró), também receberam, segundo Fred Queiroz, verba para apoiarem Henrique, mas negociaram as quantias diretamente com o candidato.

Outras lideranças que teriam recebido recursos para apoiarem a candidatura de Henrique em 2014 aparecem em um dos anexos da delação. Nestes casos, contudo, diferentemente dos prefeitos, que pegaram verbas em espécie, o pagamento teria sido efetivado por meio de contratos com a Prátika Locações – que, desta forma, teria lavado dinheiro obtido ilicitamente. Há também discriminação detalhada dos valores repassados. Entre os recebedores, estão Alexandre Dantas Medeiros (R$ 13 mil), Ana Karla Cartaxo (R$ 18 mil), Cássio Cavalcante de Castro (R$ 10 mil), Clemenceau Alex (R$ 10 mil), Edmilson Inácio da Silva (R$ 10 mil), Ivonaldo Trajano de Medeiros (R$ 22,08 mil), Jerônimo da Câmara Ferreira de Melo (R$ 40 mil), Nélson Queiroz (R$ 23 mil), Raimundo Inácio Filho (R$ 30,3 mil), Robson de Araújo (atual prefeito de Caicó, R$ 20 mil), além de novamente Flávio Veras, ex-prefeito de Macau (R$ 15 mil).

Agora RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUIDORES