27 novembro 2017

Traficantes montam fuzis genéricos com peças contrabandeadas

Em meio a um dos momentos mais graves na área da segurança pública do Rio, traficantes de drogas de morros da cidade encontraram uma nova forma de ser armar.
De acordo com reportagem exibida neste domingo no “Fantástico”, da TV Globo, a Polícia do Rio descobriu que bandidos passaram a fabricar e a usar fuzis genéricos, feitos em oficinas clandestinas e com peças de arma de fogo contrabandeadas do exterior e enviadas ao Brasil através dos Correios.
A investigação começou quando a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), criada em abrir deste ano, passou a apreender armas sem vestígios de numeração ou qualquer tipo de informação. Segundo a polícia, em solo brasileiro, as peças são montadas por um armeiro, uma pessoa com conhecimento de arma de fogo.
O resultado, segundo a polícia, são armas tão mortais quanto os fuzis de marca. De acordo com a reportagem, desde o começo do ano, a Receita Federal descobriu 201 remessas postais com peças ou acessórios de fuzis que foram enviadas ilegalmente para o Brasil.
A quantidade é cinco vezes maior do que no ano passado. Entre as encomendas, foram encontradas até partes de granas, sem o material explosivo, enviadas dos Estados Unidos – o país que possui um mercado significativo de acessórios e peças de armas.
Se uma peça entra no país sem a autorização do Exército, a remessa é apreendida. Os itens apreendidos são entregues para Polícia Federal, que fica responsável por investigar o destinatário.
 
Fonte: Boa Informação | GLOBO | VÍDEO

Nenhum comentário:

Postar um comentário