23 dezembro 2017

Governo Federal confere título de Capital do Semi-Árido a Mossoró

O Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 22, trouxe a publicação da Lei nº 13.568, que confere ao município de Mossoró o título de Capital do Semi-Árido.

O projeto de autoria da, então deputada federal Sandra Rosado, foi aprovado em julho de 2014 pela Câmara dos Deputados. A indicação beneficiará a região como um todo, atraindo mais investimentos, estimulando a geração de empregos, melhorando a infraestrutura e promovendo as políticas sociais.

Segundo o documento, apresentado em 2013, o município é também um dos principais da região nordestina e do Semiárido. O clima abrange duas estações bem marcadas - a seca, de sete a oito meses, e a chuvosa, de no máximo cinco meses e precipitação média de 679,5 mm.

A região é tradicionalmente produtora de sal marinho desde o século XVII, sendo hoje responsável por 95% da produção nacional.

Mossoró se sobressai, igualmente, por sua importância histórico-cultural. A abolição da escravatura em Mossoró ocorreu em 30 de setembro de 1883, cinco antes da Lei Áurea, e, em 1928, Celina Guimarães Viana obteve o primeiro título eleitoral feminino do País.

Semi-Árido
De acordo com o site wikipedia, o Semi-Árido brasileiro é uma região definida na lei federal nº 7 827, de 27 de setembro de 1989. A região abrange os estados Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

A área do semiárido corresponde a aproximadamente 982 563,3 quilômetros quadrados (cerca de 11% do total do território). Na classificação brasileira, o clima semiárido é aquele com precipitação inferior a 1000 mm. Com precipitação média anual inferior a 300 mm por ano e estiagens que duram às vezes mais de dez meses.

Devido a proximidade com o Equador, o clima semiárido brasileiro possui uma configuração própria, o que permite ser considerado um dos climas mais complexos do mundo, devido principalmente a seu sistema de circulação atmosférica.

A precipitação pluviométrica é em média cerca de 750 mm por ano, podendo apresentar grande variabilidade climática (ano a ano) e uma distribuição irregular no espaço e no tempo. As altas temperaturas médias anuais (cerca de 26oC), com pequena variabilidade interanual, exercem forte efeito sobre a evapotranspiração potencial que, por sua vez, determinam o déficit hídrico durante a estiagem anual.

A principal característica hidrográfica do Semiárido brasileiro é o caráter intermitente de seus rios. Esta característica está diretamente relacionada com a precipitação da região. Os rios e riachos são irregulares, onde o fluxo de água superficial desaparece durante seu período de estiagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário